Postagens

Mostrando postagens de Setembro, 2017

ENSINAMENTOS TOLTECAS - CARLOS CASTAÑEDA E MARY CAROL NELSON

Imagem
Ensinamentos Toltecas – Carlos Castañeda e Mary Carol Nelson Os ensinamentos toltecas chegaram pela primeira vez para o público através de Carlos Castañeda. Os toltecas tradicionalmente, eram definidos por um grupo de pessoas (nativos) que alcançavam um nível refinado de iluminação espiritual. Seguem abaixo alguns apontamentos do o livro “Além do Medo”, escrito por Mary Carol Nelson, que, relata os ensinamento de Don Miguel Ruiz, um médico cirurgião mexicano que descende das tradições dos toltecas.
O “nagual” é tudo aquilo que existe e não podemos perceber. O “tonal” é tudo o que podemos perceber com os sentidos comuns. O tonal e o nagual só podem existir por causa do “Intento”. Intento é a conexão que torna possível a transferência de energia entre o tonal e o nagual. Intento é a vida. É a eterna transformação. Intento é Deus. Deus é Espírito. Tudo o que existe no mundo é energia. O Tonal é o Sol com todos os planetas, luas, cometas, meteoritos, satélites. O nagual é a energia que vem de…

AS 7 ERVAS MEDICINAIS SAGRADAS E SEUS ORIXÁS

Imagem
7 Ervas Medicinais Sagradas e Seus Orixás
Para falar em folhas sagradas ou ervas medicinais sagradas indispensáveis nos rituais do mundo sagrado, devemos aludir a lenda de Ossaim ou Dada que distribuira cada erva sagrada a um ou vários Orixás. Assim, cada orixá tem as folhas sagradas que lhe correspondem. Algumas vezes encontramos orixás compartilhando uma ou mais ervas. As ervas sagradas desempenham funções de propiciadoras e purificadoras dos elementos sagrados. Une o orixá ao seu filho. Não existe orixá sem as folhas sagradas. Participam de obrigações de cabeça e em todos os rituais de defumaçãobanhos de descarregolimpeza espiritual dos ambientes e muito mais. 7 ervas sagradas e seus orixás
Alecrim – Pertence a Oxalá. Entra em qualquer obrigação de cabeça dos filhos de qualquer orixá. Bastante emprego nos rituais de defumaçãobanho de descarrego. É parte indispensável do ‘abo’. Eficiente destruidor de larvas astrais. O Chá é empregado para combater tosses e broquites com sucesso.Arr…

MAGIA E CURA ENTRE OS ÍNDIOS

Imagem
Magia e cura entre os indígenas
Desde os tempos mais remotos da humanidade, o homem procurou meios para evitar, ou curar doenças. Observando plantas e animais, começou a distinguir o que poderia ser utilizado como elemento medicinal. Para os brasis, esse conhecimento empírico foi passado de geração em geração, formando um conjunto de práticas que chegaram até o índio do período colonial. Esse conhecimento, hoje conhecido como fitoterapia, era de domínio dos índios de todas as partes do Brasil, apenas variando por influência de características culturais e do conjunto de plantas das floras regionais.
Com a sua enorme biodiversidade observada pelos europeus, desde os primeiros relatos, o Brasil oferecia ao índio, uma grande possibilidade de se obter plantas medicinais. Há milhares de anos como nativo da terra, o índio, atento observador da natureza, conseguiu catalogar, através de seus pajés, drogas que formaram a sua grande farmacopeia. Aliadas a rituais, essas drogas eram a sabedoria das …

O CÓDIGO DO GUERREIRO SEGUNDO DON JUAN (DA OBRA DE CARLOS CASTAÑEDA)

Imagem

Por muito tempo tenho pensado acerca de nossa pequena caminhada por esta vida. Falo desta caminhada da qual sabemos existir, fora de qualquer elucubração metafísica como vidas passadas ou mesmo amenizações futuras sobre as possíveis vidas que teremos. Quero me abstrair deste contexto neste breve momento e pensar, por um instante que seja, que algo que nos faz concebermos a nós mesmos como indivíduos fora criado no momento do nascimento e acabará no momento de nossa morte. Quero, como base para este texto, manter-me no pensamento de que quiçá sejamos como o dito energético de que nada se perde, tudo se transforma de alguma forma. Pensando assim chegaríamos à concepção de que ao morrer, podemos até virar adubo que comporá outro ser, mas que não teremos de nosso conjunto atual as lembranças e a coesão suficiente de ser o que agora somos. Filosoficamente eu já poderia dizer que não somos hoje sequer o que fomos ontem, posto que somos uma constante transformação, mas a…