OS TIPOS SENSITIVOS : XAMÃ,O CICLO DA VIDA E DA MORTE


Os tipos sensitivos: Xamã, o ciclo da vida e da morte.


            É acreditado que há cerca de 500 mil anos os nossos ancestrais conseguiram dominar o fogo, o que deu base para a continuidade e evolução da nossa espécie ao que vemos hoje. Com o fogo, nos protegemos e cozinhamos os alimentos que antes não eram possíveis de comer, nos dando a opção de plantar e forçando o surgimento das primeiras civilizações cerca de 8 mil anos antes da era comum.


Junto com a evolução da humanidade como civilização, vieram as evoluções religiosas. Estima-se que o xamanismo foi a primeira expressão religiosa do homem, a sua ligação primaria com os elementos, com os espíritos naturais e com a cura da alma que se mantiveram vivas nos povos indígenas que foram dizimados por nossa sociedade expansionista e segregativa.

Sabemos que nosso mundo é percebido por meio dos sentidos. Os cinco sentidos nos situam no universo, entretanto, são falhos e não conseguem detectar diversas coisas como ondas de radio ou ruídos supersônicos.  O significado de xamã é “Aquele que enxerga no escuro”, que fecha os seus sentidos para ver com os olhos da alma, simbolizada na imagem do post pelo homem com o rosto coberto e um olho em sua mão. 
Todo ser humano possui o centro de perigo que não sei exatamente onde fica (vergonha, pois ensino neuroanatomia e neuromorfologia), mas provavelmente entre o diencéfalo e o córtex motor. Mas o xamã é extremamente instintivo, conseguindo detectar situações que sejam favoráveis a ele e a sua tribo e as que são perigosas. 



 O que é ser um xamã  hoje

Xamã é o elo entre o homem e o divino, sendo uma ponte entre o mundo espiritual e o mundo carnal. O seu trabalho é guiar o seu povo e ajuda-los na cura de sua natureza interior, curando a natureza exterior.
O nível de empatia de um xamã é extremamente alto, entretanto, ele possui uma espécie de empatia espiritual, que lhe da a capacidade de interpretar os sinais físicos e espirituais de qualquer tipo de ser.
Assim como os outros sensitivos, não podemos nos tornar xamã. Segundo a teoria, o xamã é um escolhido dos deuses nesta terra, sendo então um dom intransferível e inegável. Negar o seu caminho é negar a sua vida e ser condenado a uma pobreza espiritual e um vazio extremo. Nas palavras do xamã Trovão Retumbante, respondendo as duvidas de um aprendiz:



Não se trata de uma escolha sua. Você não tem o direito nem autoridade para interferir nos desígnios do criador: Foi escolhido para se tornar um Curandeiro muito antes de encarnar nessa Terra. É seu dever e responsabilidade atender ao chamado.
Certamente é uma vida muito dura. Mas o Grande Criador sabe, a mãe terra conhece e as suas legitimas afinidades na natureza também percebem. As diversas pessoas que você curar; ajudar e ensinar também reconhecerão e acima de tudo, o que é mais importante: Você saberá. E quando as situações cruciais se abaterem sobre você, terá que sorrir e suportar tudo.


Entretanto, para curar o seu povo, o xamã precisa passar por uma serie de provações iniciaticas, conhecendo todos os seus elementos interiores e se conectando inteira e totalmente com a natureza por meio de sucessivas mortes e renascimentos.

As Características 

O xamã tem como características a sensação de solidão e incompreensão, como se vivesse na superfície do universo e tivesse perdido um anel de ouro em suas profundezas. Algumas lendas dizem que o xamã na verdade possui duas almas, sendo uma delas o sussurro divino, ou seja, a guiança, a capacidade de ouvir o seu próprio eu que lhe concede conselhos baseados em sua memória celular (memória de tudo o que já viveu em todos os universos paralelos e vidas).
A conexão com a natureza também é uma característica xamanica, possuindo uma empatia animal muito grande. Certa vez, conversando com a xamã Aisha, ela me contou uma historia muito interessante de que quando ela estava no Peru, uma aranha enorme (tarântula) apareceu e o caseiro pegou álcool e fósforo para mata-la, mas ela impediu e perguntou se ele gostaria de ser queimado vivo. Ela estendeu a mão para a aranha, que subiu e ficou no ombro dela ate o fim do dia.
Mas sem duvida uma marca muito forte deste chamado é a infância. Eles têm experiências traumáticas com o mundo físico que fazem se voltar para dentro: Um acidente de carro, uma perda, ou simplesmente um contato com um abatedouro. Enfim, qualquer coisa que marque a sua alma ao ponto de fazer refletir mais cedo do que deveria.

A capacidade xamanística

Por ser um elo entre o homem e o divino, o xamã em sua caminhada precisa entender o seu próprio ser e acessar a sua memória celular, conectando-se com os espíritos ancestrais e com os espíritos naturais.
Segundo a filosofia deles, o processo de cura físico só pode ter inicio quando começa também o processo de autoconhecimento.
Ele esta preso na teia da vida e pode caminhar por ela. É comum aos xamãs aparecer em lugares que são necessários e deixar-se levar pelo destino, o que acaba levando-os aos seus antepassados.
Outra capacidade muito interessante dos xamãs é a certa facilidade de descolar do corpo e a propensão a viagens astrais, sonhos lúcidos e visões. Certa vez ouvi uma historia da crença nórdica de que o universo é uma arvore energética, onde cada mundo e realidade são ligados as outras por galhos desta arvore. Geralmente a iconografia da arvore vem com um bicho nas raízes, um esquilo no meio e um corvo no topo, sendo o bicho indefinido o espírito de destruição que tenta acabar com a arvore, o espírito guia seria o corvo e o esquilo o xamã, que tem a permissão de subir e descer pela arvore quando achar necessário.

A entrega e os quatro elementos.

O escolhido pelos deuses deve, acima de tudo, e entregar ao acaso. Essa entrega é um teste de fe em si e no destino.
Na caminhada xamã, existem diversos rituais necessários para que haja a completa entrega, conhecendo os elementos como parte de você e superando seus medos que rondam cada um deles. Vou digitar agora partes de um livro da Alba Maria (Autora do livro "A voz dos quatro elementos"), uma xamã da Bahia que possui um sitio xamanístico em Simões filho – Salvador.

Água

Água divina, purifica meu ser, limpa minhas células.
Renova cada rio interno meu, circula
Em mim o teu amor e a tua luz cristalina.
E assim é.

“Vi-me atacada a uma canoa desgovernada, vagando velozmente em direção a uma estrondosa cachoeira. Senti meu sufoco, minha falta de ar. Estava caminhando para a Grande Senhora da Transformação : A morte. Nada podia fazer enquanto o desespero e a dor tomavam conta de mim. [...] E escutei uma voz doce como a melodia dizer-me: “Sou o espírito das águas. Para compreenderes meus Mistérios, te convido a penetrar em mim e deixar-me penetrar em teu ser. Vem, entrega teu corpo suavemente e assim experimentaras os dois lados de mim: minha solidez e minha flexibilidade. Eu sou a circulação da terra e represento o sangue terreno. Fluo por entre as pedras e nada detém minhas caminhada. Venho, minhas querida, do muito alto, em forma de chuva, fecundar, através de meus raios, a terra, elemento sagrado. E encher suas veias sob a forma de rios e cachoeiras. Junto, eu e a terra, caminhamos para o grande útero de mim mesmo: O mar. O que temes? A morte? Já não morres e vives a cada segundo? O que esperas conservar? Não sabes que um dos teus maiores ensinamentos eh o desapego? Soltar absolutamente tudo e ficar com aquilo que é mais sagrado: Tu mesma. Vem, confia.”  

Fogo

Meu elemento amado
A ti abro o meu coração
Para sentir a tua chama e nela me envolver
Danço minha dança e em ti revelo o meu ser, feminino,
Masculino, inebriante como o viver.

“Esperávamos a lua cheia aparecer no céu.[...] Eu sentia cheio de celebração no ar. Pensava comigo mesma se iria passar novamente nas brasas. Perguntava ao grande espírito por que precisei passar Poe este teste sozinha.[...] Dançamos sem cessar durante duas horas. O suor descia pelo meu corpo e meus olhos já não mais enxergavam a fogueira inicial. Agora para mim, só havia luz. Uma grande bola de lua no centro e os sons contínuos e sequenciados. Recordei-me de quando descobri meu elemento cura – o fogo. [...] Fui chamada ao centro do circulo. As brasas estavam com num tapete crepitante. Ela (eu) olhou dentro de mim, dos meus olhos, segurou minhas mãos e beijou-as numa atitude de profunda reverencia. Dirigiu-se ao fogo emitindo sons absolutamente criativos cuja compreensão só podia se fazer pelo coração. Ali estava eu, completamente entregue. O céu estava limpo, sem uma nuvem sequer. Passei pelas brasas com a ajuda daquela mulher, índia, senhora dos elementos, também fogo, eu. Todos estavam silenciosos. A partir daquele momento, também pertencia a tribo dos pássaros de fogo. 

Terra

“E ela respondeu  “Sou muito mais do que vocês me conhecem. Sou senhora da matéria e do divino. Sou aquela que se rasteja pela erra para dela extrair o conhecimento. Enquanto me desloco, absorvo o significado de cada partícula desse planeta em meu corpo para que um dia todo esse aprendizado se transforme em sabedoria, fazendo-me transitar entre o céu e a terra. Sou a ilusão e o real daquilo que chamam de realidade. Religiões me colocaram como símbolo do pecado, mas verdadeiramente sou símbolo do conhecimento e da sabedoria.” [...] “Olha nos meus olhos, mergulha nos teus portais, aqui e agora, pois soh assim poderás me compreender.[...] Não há mais separação, mas um sentimento de união com o universo e com o que esta alem dele. É exatamente ai que pode perceber o poder (da terra) em sua plenitude, só então se é livre de verdade.”

Ar

Meu elemento aliado
Sempre me ajudaste em todos os meus trabalhos
A ti me entrego neste momento mais uma vez
Para ser o canal através do qual tua voz é ouvida.

“”Quem é você?“ perguntava ao que ele respondia: “Eu sou o Ar, aquele que te da a vida e a morte, sou o que te faz respirar” ”Por que você se afasta de mim? Vai embora e eu lhe busco e não encontro?” “Me afasto para que você se aproxime do que chamam de morte, e me aproximo para que você possa sentir aquilo que chamam de vida.” “O que é a vida e a morte? “ “É um grande e poderoso movimento que chamam respirar. Vida é o movimento de preenchimento, enquanto morte é de esvaziamento.”[...]Pedi: “Por favor, me explica melhor o significado de tudo isso” “A respiração é o fio invisível que liga todos os seres deste planeta ao Grande Espírito. Ela em si é uma, mas como todo e qualquer processo que aqui na terra ocorre, torna-se dual. Assim, o que é um – o respirar - torna-se dois – o inspirar e o expirar. Eis um dos Mistérios” 


Quanto as claris

Sitio  xamanístico de Alba Maria em Salvador - Bahia
Quanto as claridades espirituais, o xamã pode ter varias delas, sendo as mais fortes a clarivisão e a clariaudição. Em rituais xamanísticos é normal o uso de substancias para alterar a consciência e desenvolver visões como o consume da Salvia divinorum e da folha de Coca, alem dos indutores naturais de ritual (tambor e tochas). 


"Nossos ancestrais literalmente fazem parte de nós mediante sua presença em nossos genes. Dentro de cada célula de seu corpo existe um traço microscópico de cada um dos seus ancestrais.” - Livro Descendentes de Denise Linn
Espero que aproveitem o texto
Cya - Heustam


Fonte:http://bruxariahipster.blogspot.com.br/2014/01/os-tipos-sensitivos-xama-o-ciclo-da.html

Postagens mais visitadas deste blog

OS MELHORES BANHOS DE DESCARREGO DA UMBANDA

COMO SABER QUEM É MEU EXÚ OU POMBA GIRA ?

BANHOS DE ATRAÇÃO E AMOR NA UMBANDA