ENTENDENDO E LIDANDO COM A OBSESSÃO ESPIRITUAL

terribleweakness_d_palumbo
“Você é fraco… Você não devia estar aqui. Seria melhor se estivesse morto.”

Entendendo e Lidando com a Obsessão Espiritual

O assunto que vou tratar hoje é bastante sério, e creio que nunca dediquei a ele o devido espaço aqui no blog. Falarei sobre o fenômeno da obsessão. Para quem não é familiarizado com este termo, seria o popular “encosto”, isto é, a tentativa de um determinado ser de dominar o outro. Bastante comum, invariavelmente passamos ou passaremos por essa experiência de algum modo.

Sinais

Um dos sinais mais clássicos de que alguém está te perturbando no Astral são os pensamentos (ora veja só) obsessivos. Em geral ideias persistentes e negativas a respeito de outra pessoa, de uma situação, ou de você mesmo. Igualmente, podem se manifestar na forma de sentimentos, vontades, impulsos, julgamentos, imagens (quem tem vidência pode inclusive chegar a ver espíritos disfarçados de mentores)… O que elas têm de diferente e peculiar é que normalmente – aliás, no seu normal – você não sentiria, teria vontade e impulso, julgaria ou veria, as coisas desse jeito distorcido. Um atestado disso é quando passam algumas horas e você percebe que na realidade seu modo de lidar é muito mais positivo do que aquele em que estava. Desconfie sempre que você tiver “episódios” de negativismo referentes a algo, especialmente se aumentarem em frequência.
Outra coisa que observei tanto na minha experiência pessoal quanto na de outras pessoas é que obsessores perturbam o sono da vítima. Talvez porque estejamos mais “abertos” durante esse tempo, não raro começa a acontecer algo como insônia, ou excesso de sono, acordar extremamente cansado, ter a sensação de não ter dormido e não sentir sono, redução do número de horas, e especialmente destaco os pesadelos. Por algum motivo também, já percebi que muitas pessoas acabam registrando a presença de obsessores nos sonhos na forma de animais peçonhentos.
Também não podemos esquecer de que há aqueles que vão registrar a presença ruim na forma de odores – cheiros desagradáveis e inexplicáveis que surgem de modo fugidio e desaparecem.
Você, aliás, ao estar entrando na obsessão começa a agir diferente do que seria seu normal, como falei antes, e a partir disso as pessoas ao seu redor também te tratarão de modo diferente – possivelmente pior. Além disso, lembro que as pessoas mais próximas poderão ser “usadas” pelos obsessores para atingir você ou te desestabilizar. Entenda: para que eles possam entrar em vocês, precisam de uma porta aberta e essa porta são nossos desequilíbrios. As pessoas começarão a te irritar, discutir, intimidar, constranger, criticar, etc. mais vezes e sem muita explicação.
Atente também para quando você perder a vontade de estar perto das pessoas que mais ama e se sente bem, e também dos lugares e das atividades nas quais você normalmente se realiza. Um dos objetivos do obsessor será te tirar de perto de tudo e todos que te fazem bem. Desconfie fortemente quando repetidamente nos momentos que pensar “poderia ver ou falar com fulano” ou “quem sabe se eu fosse” ou “e se eu fizesse” e logo surgir um pensamento ruim a respeito.
Se você for atento vai perceber quando de repente ter ímpetos e começar a falar e até gesticular de uma forma que não é a sua habitual. As pessoas que olharem nos seus olhos poderão perceber como se você fosse outra pessoa (e numa situação de você estar perto de alguém obsediado, os momentos em que a pessoa está sob influência direta, você pode notar isto).
Para quem é mais intuitivo e sensitivo, podem surgir estas más impressões e até premonições e sonhos. Saiba que apesar de você captar isso, nem sempre é real – de novo, pode ser justamente algo para te enfraquecer e deixar desequilibrado. Não acredite em tudo. As revelações espirituais não são brutas e têm o objetivo de te atormentar. Revelações de origem “boa” costumam chegar na hora certa, no momento certo, são úteis e te dão a opção de mudar algo e não servem pra afligir. Se uma revelação for causar mais mal do que bem, os mentores e médiuns costumam nem repassá-las. Dito isto, não confie também em qualquer revelação mediúnica feita por outrem. Filtre sempre através do que essas informações te causam nos sentimentos, nunca aceite deliberadamente coisas que te atormentam.
"Eu relaxo e aproveito a vida. Eu sei que o que quer que precise saber será revelado a mim na sequência de espaço e  tempo perfeitos."
“Eu relaxo e aproveito a vida. Eu sei que o que quer que precise saber será revelado a mim na sequência de espaço e tempo perfeitos.” (Louise Hay)

Mecanismo

Carimbe uma frase na sua cabeça: “o mal não tem poder”. Você pode ter a ideia de que seres das trevas andam por aí armados até os dentes de super poderes. A verdade, porém, é que por mais habilidade e capacidade de manipulação energética, ou até mesmo agregação de trabalhos feitos como feitiços e afins, nada pode entrar onde não há abertura. O que o mal faz é agir como a serpente bíblica, ele vem sugerindo coisas, lentamente se inserindo na nossa mente, alimentando quando estamos chateados e pensativos, para que nossos pensamentos e sentimentos ruins cresçam.
Somos responsáveis por nós. Não há obsessão ou mal-feito que te pegue que não encontre uma abertura em você ou rasgo na sua aura. Se é permitido que o atinja é porque algum tipo de ensinamento vai ser tirado dali, pois o bem não permite o mal se não para usá-lo como degrau. O que deixa nossa porta aberta somos nós mesmos, falhas de caráter, inseguranças, incertezas, raiva, tudo que é ruim em nós, nosso lado sombrio. Os momentos em que o pior de nós se manifesta pode ser ali onde a “turma” do Astral inferior vai aproveitar para se colocar perto de você. De princípio com coisas que você pode ignorar facilmente (obsessão simples), depois com atitudes e coisas que você toma e se arrepende (fascinação), até medidas mais drásticas em que você perde constantemente o controle (subjugação), podendo chegar ao total domínio em que sua vontade e consciência cederam lugar à do espírito obsessor (ou grupo – possessão). Obsediados em estado de possessão podem resvalar facilmente para quadros considerados graves dentro da classificação de doenças mentais.
Lembre também que temos crenças e hábitos ruins, por nós mesmos. Nem tudo de ruim que acontece conosco ou à nossa volta tem que ser sempre um encosto. Há coisas que partem do nosso interior e precisam ser resolvidas para que não se tornem aberturas que mais tarde permitirão ao Astral inferior entrar.

Como Lidar

Eu mesmo: Se você sente que pode estar sendo vítima de uma obsessão, comecemos do começo. A mente não é você. Você é o observador, aquele que ouve a voz da mente, vê suas imagens, que sente as coisas. Portanto os pensamentos, imagens e sentimentos, nem sempre podem ter origem em você. Há uma frase que diz “se não é bom, não é meu”, creio que do Calunga. Se coisas não boas constantemente estão desfilando na sua frente, evite-as. Comece a ignorar as sugestões que chegam, os sentimentos que aparecem do nada e sem motivo (e que depois começam a provocar ideias para confundir como se fossem elas que tivessem te deixado mal e não o contrário), e os tais pressentimentos e “avisos” alheios que tiram sua paz.
Se você estiver muito tomado, pode ser que até perceba que não está agindo bem, e pode ser difícil parar, por exemplo, no meio de uma discussão. Mas faça todo esforço possível para parar. Largue tudo o que está fazendo, coloque a mão no peito, volte pra dentro de si. E aí dentro da sua crença e religiosidade peça a proteção, e que os guardiões do mundo espiritual afastem de ti todo o mal, reze, faça uma prece, tudo que sentir que deve, apenas faça. É preciso tirar o orgulho da frente pra conseguir sair disso.
Você terá de ter paciência pois às vezes não bastará afastar uma só vez. Por esse mesmo motivo não creio que uma sessão em alguma doutrina ou outro local, seja numa igreja ou centro, seja capaz em si de livrar você de um perseguidor feroz. Lembre-se da porta aberta, enquanto ela estiver aberta ou encostada ele entrará, e não adiantará tirá-lo e botá-lo pra fora, a não ser que aprenda a trancar, a fechar as partes suas que estão trevosas, iluminando-as. Daí vem a utilidade do que o Espiritismo chama de “reforma íntima” e que nada mais é do que o esforço para se tornar uma pessoa melhor. Por vezes precisará de tempo até que o obsessor desista de você.
As ideias de coisas que você deve fazer e que eles mandam normalmente são coisas que virão a fazer você se machucar e machucar as pessoas que ama, principalmente se elas são presenças de luz na sua vida. Isso tem o objetivo de afastá-las. Resistência, e como Jesus dizia: “orai e vigiai”.
Habitue-se também a não ficar precisando de elogios ou permitir que qualquer crítica te derrube. Isso mostra que você dá mais importância para tudo que vem de fora… E em relação ao modo como sua energia lida com o Astral ela copiará essa atitude e dará importância pros seres de fora que irão te perturbar. Veja que o fortalecimento não é só uma questão de resolver uma coisa numa área chamada espiritualidade, mas uma mudança que repercute em todas as coisas na sua vida, e que por conseguinte, também pode afetá-la se não-tratada.
Finalmente o apoio de um bom contato espiritual sempre será válido desde que se lembre da frequência. Vá pro lugar onde se sinta bem e acolhido pela Luz… Perceba que ao estar nesses lugares sentirá sua mente mais limpa, descarregada, e que pensará de modo mais otimista.
Sair da frequência é outra boa dica, ir fazer algo que ocupe sua mente.
Quando estiver mal, e se concentrar e pedir que seja levado embora a influência, rezar, sentir você com você mesmo, fechado e protegido, em cerca de uns vinte minutos e meia hora você verá que se sentirá mais calmo e liberto. Pode não ser 100%, mas será o suficiente para perceber seus pensamentos, sentimentos, vontades, julgamentos, imagens mentais, fiquem desintoxicados. O que é seu está sempre com você. Não faz sentido você sentir mal por uma coisa ou pessoa, e duas horas depois sentir que na verdade você quer o bem e que nada daquilo que sentiu antes de negativo faz mais sentido e que sua opinião agora é outra. A menos que queira afundar sua vida, não entre nesse barquinho.
Se você for capaz, emane amor e carinho para a entidade obsessora dizendo que não vai mais aceitar suas investidas e pedindo que siga em frente, que seja encaminhada.
Alguém próximo: Todas as orientações anteriores são válidas, e mais algumas. Tenha muita paciência com essa pessoa, pois ela tentará te atingir nos pontos mais frágeis. Pense que não é ela. Pode ser que você mesmo passe a escutar uma voz quase pedindo para tratá-la mal ou arrancá-la de sua vida, talvez machucá-la, revidar… Não faça. Se fraquejar, volte atrás. Lide com a pessoa com o máximo de carinho possível tentando esclarecê-la, mostrar-lhe como as coisas estão acontecendo e que há algo ao redor interferindo. Nos momentos que sentir que a pessoa está “tomada”, reze por ela, pelo mentor dela, e como dito antes: emane amor e carinho para a entidade obsessora dizendo que não vai mais aceitar suas investidas e pedindo que siga em frente, que seja encaminhada. Tente aproximar a pessoa do espiritual, mas se não conseguir ajudá-la, lembre-se de que cada um é responsável por si próprio e por sua “porta” aberta… Não caia na tentação de ficar mal junto, faça o possível para estar bem e cuidar de que tudo permaneça positivo.
Pode ocorrer também que você seja o alvo do obsessor, e ele não tenha conseguido encontrar uma forma direta de entrar em você. Nestas situações ele irá usar as pessoas disponíveis, especialmente as mais fracas, para conseguir te importunar e desequilibrar, até você baixar a guarda ou chegar ao estado que ele deseja. Por isso não entre naquilo que o Astral inferior deseja que é você não fazer nada com suas mãozinhas lindas, mas mentalmente querer esganar a pessoa que está te enlouquecendo, ou qualquer outro pensamentos nefasto, afaste-os. Livre-se também da tentação de se magoar, de alimentar o ressentimento, de ficar relembrando e remoendo o que possa acontecer e/ou ter acontecido – você estará fazendo o que eles querem.
Guias espirituais: Em situações de mediunidade o obsessor pode iludir você com imagens e a falsa presença de guias espirituais, até mesmo conhecidos por você, ou com manifestações aparentemente bonitas. Por isso é importante sempre analisar as comunicações, não aceitar qualquer coisa. Minhas amigas do Dragonlight Essences, Antoinette O’Connell e Ana Vidal, ensinaram em um de seus cursos que diante de qualquer entidade podemos evocar um raio de luz do Alto e pedir ao comunicante que gentilmente entre nele. Guias do bem não vão se importar em fazer isso, já os demais não curtirão. Observe também se consegue enxergar os olhos do guia. No campo da sensação, perceba se aquela presença “enche” o ambiente com algo ou se é vazia e até fria (maus sinais). Por fim atente sempre pro objetivo, pra qualidade da visita. Lembre-se que avisos sobre coisas não tão boas, sempre virão de um modo tranquilo e que te concede uma opção para agir ou se preparar, enquanto os avisos provenientes das artimanhas do mal sempre tentarão te desestabilizar e deixar caído. Mesmo em situações de emergência onde a intuição é ativada, sentimo-nos seguros e confiantes como se algo nos acompanhasse, e não angustiados e poluídos mentalmente.

Danos

Bom eu não preciso dizer que muitas coisas vão ficar mal. Os relacionamentos vão se deteriorar; a sua saúde conforme você se afasta cada vez mais do que te faz bem irá ser minada; o constante ataque destrói a energia de defesa e isso se reflete na baixa imunidade e tudo que ela acarreta; você não terá ânimo e nem energia e estará constantemente sentindo opressão, mal-estar, dores de cabeça; você fará coisas das quais se arrependerá e pedirá desculpa constantemente. Enquanto você não achar o ponto cego em que precisa mudar, e se dispor a mudar algo em você, e a resistir a tudo isso, permanecerá colhendo os efeitos nocivos da obsessão. Quantas coisas ruins você já não fez pra você, se xingou, ou desistiu, porque a sua cabeça estava atormentada?
Obsessões podem ser tão intensas e fazer você ficar tão afastado de você mesmo que você corre o risco de viver uma vida que não é sua. Você terá absorvido gostos, maneiras, coisas, de seres que não são você, e viverá de acordo com isso sem seguir seu plano de alma, o que seu coração pede. Logo terá se envolvido naquilo que não deveria, e tudo será ruim, trancará. Você não vai mais saber do que gosta e de quem gosta, nem o que te faz bem, não saberá ao menos como começar a responder quando te perguntarem sobre isso. Há pessoas que podem passar toda uma vida nesse estado “zumbi” e por algum motivo “despertar” quando estão com muito mais perguntas do que respostas.
Em atividades corriqueiras, e até na sua intimidade (sim e naquele sentido também seu safadinho), você de repente pode ser assaltado por pensamentos desencorajantes, de menos valia, que não é importante para ninguém, e que você não deveria estar aqui.

Encarnados também

Por fim, e muito importante, quero lembrar que não só desencarnados podem ser obsessores, mas encarnados também. Há pessoas com forte energia dominadora que podem lançar sobre quem é mais sensível as suas más influências. Tudo acontecerá da mesma forma como descrito acima. Porém, pode ser que você tenha chance de identificar a pessoa, e deste modo, treinar sua mente para cortá-la diretamente. A pessoa se torna apática ou então começar literalmente a copiar o outro (por exemplo a mãe, o avô, o chefe, o amigo, etc.) e se afasta de si mesma. Todo afastamento de si mesmo produz danos porque em essência somos perfeitos embora estejamos aqui disciplinando a mente e nos conhecendo ainda. Uma obsessão encarnado x encarnado pode ser tão danosa quanto aquela oriunda do Astral. Proteja-se, imponha-se, coloque-se, seja você mesmo, encontrando sempre a sua maneira de lidar com o mundo e o que é certo e errado para você e não para a sociedade, sua família, seus amigos.
Como falei ante, as recomendações sobre como lidar com alguém próximo obsediado se aplicam aqui. Retire a importância da pessoa, não alimente pensamentos e sentimentos e vontades e qualquer impulso a respeito dela que seja negativo, não dê bola, coloque seus limites mas não entre no jogo da agressividade ou da maldade, ou além dela você poderá acabar ganhando mais um “amiguinho” do Astral inferior.

Utilidade

Você deve estar se perguntando: por que isso acontece? De certo modo aprender a lidar com obsessores faz parte do desenvolvimento espiritual de todos nós. Todo mundo em algum momento precisará descobrir como ser mais forte, e a não absorver as influências negativas dos outros (sejam vivos ou “mortos”, lugares ou situações), muito menos deixar-se dominar. Aprender a não ser dominável. O exercício da fé, da persistência, da perseverança, de crer em si mesmo, de não se deixar derrubar pelo negativismo, entre outros, são alguns dos pontos que são requisitos para ultrapassar este problema.
Numa situação recente que passei, tive a influência de entidades persistentes que me assaltaram inclusive durante a noite. Tentei conversar com meus mentores sobre isso, pois sentia-os um tanto silenciosos embora eu estivesse constantemente pedindo a ajuda e a proteção. Então eles me disseram que eu precisava passar por isso por mim mesmo, que tinha de confiar em mim, nas minhas respostas, e que nesse momento eles não poderiam me dizer nada. No entanto, observei também que eles só podiam agir pra me ajudar quando eu passava pelo momento de crise em que a influência vinha forte e não me deixava levar por ela; quer dizer, quando eu conseguia me disciplinar a parar a voz da cabeça ou os sentimentos rolando, voltar pra mim, ficar comigo e pedir o afastamento de tudo que estivesse me fazendo mal. Eu tinha de fazer primeiro a minha parte para que eles pudessem fazer a deles, como está na Bíblia: “ajuda-te e o céu te ajudará”.
Consegui observar também que eu tinha recebido avisos e sinais sobre algumas coisas, e as entidades do mal tentavam me fazer descrer e esquecer, duvidar deles. De novo os guias me puxavam a orelha quando podiam se comunicar comigo e me lembravam de que eu precisava escolher se eu ia ficar sempre duvidando ou se ia confiar no que o meu coração sabia antes que era certo e naqueles momentos ficava abalado pelas más sugestões e imposições.

Considerações finais

A influência do Astral em nossas vidas é muito maior do que imaginamos. Os bons amigos do espaço frequentemente nos conduzem quando estamos sintonizados numa frequência mais positiva, porém não temos a percepção consciente disto. Não podemos ser presunçosos em achar que por frequentarmos um local espiritualista ou lidarmos com o bem, com nossa boa intenção, estaremos livre de perseguições ou de más influências que podem tentar dominar a nós, ou quando não conseguem, àqueles que nos cercam a fim de nos atingir. Precisamos conhecer e observar a ocorrência deste fenômeno, entendê-lo na maturidade de que é um aprendizado a passagem por ele, e que o bem sempre tem o poder – nunca o mal. Confie em si e no Astral superior, na assistência dos guias de luz, do seu anjo de guarda, dos seres que você possui afeição do lado de lá.
Se você quebra um copo de água e fica triste porque o quebrou, isso é um sentimento seu – ele tem origem, tem forma clara, e fica presente enquanto você tenta se conformar com o pequeno acidente. Se você fica triste às 20 horas enquanto está olhando televisão e começa a se sentir mal, e depoisque está triste a tristeza começa a lembrá-lo de tudo que te entristece, desconfie que isso veio de uma carga que você recolheu, de uma pessoa ou de um obsessor. Mande embora na hora. O que é seu, está lá, tem motivo, nome e endereço.
Oriente-se no bem, na oração, e dentro da sua crença religiosa tenha sempre à mão as ferramentes de proteção espirituais disponíveis para ajudar a si e ao outro. Faça uso daquilo que pode afastar as energias e influências, e até a presença, dos perseguidores, mas não esqueça de que em primeiro lugar é preciso algum tipo de trabalho interno.
Se você já passou ou conviveu com algo assim, deixe seu depoimento para ajudar outras pessoas. Desejo a você toda Paz e Luz, e que possamos estar sempre atentos, não com objetivo de não cair porque assim estaremos focando no mal, mas no objetivo de viver melhor porque sabemos que todo aprendizado é iluminar a si e ao mundo à nossa volta!
Para saber mais
Fonte:https://ponto0.wordpress.com/tag/mediunidade/

Postagens mais visitadas deste blog

TESTE PARA SABER SE VOCÊ É SENSITIVO

COMO SABER QUEM É MEU EXÚ OU POMBA GIRA ?

OS MELHORES BANHOS DE DESCARREGO DA UMBANDA